Tuesday, July 17, 2007

Pitacos Renânicos

A Questão das Aspas

Renan B. Fernandes

Quem leu um dos meus artigos passados, “Em defesa do Equilíbrio”, não pôde deixar de notar o uso de aspas sempre que me referia a “criacionistas” e “evolucionistas”. Vou aproveitar para escrever um artigo explicando algumas coisas sobre ciência.

O uso de aspas, nesse caso, se deve ao fato do uso constante de uma terminologia errônea. Não vou entrar no mérito do evolucionismo nas Ciências, vou me atendo-me ao evolucionismo que tratamos aqui.

Em Ciência, essencialmente, não se crê (na verdade, se crê, mas trataremos disso mais adiante). Quando uma teoria é estabelecida como CIENTÍFICA, porque foi construída através de método reconhecidamente científico, ou você a entende e aceita, ou você não a entende. (Outra opção é entender e não aceitar, denunciando uma falha de experimento, de construção da explicação, ou qualquer outro problema metodológico) No caso da Teoria da Evolução, ela possui o status de teoria científica, como muito já foi discutido, pois a hipótese foi comprovada pelo método científico e, até o momento, só tem sido corroborada. Apesar de a TE está solidamente construída, ela pode vir a ser substituída por um modelo mais adequado, melhorado, de acordo com novas evidências. Não devemos divinizar uma teoria.

Epistemologicamente falando, não existem evolucionistas. Existem cientistas que, atualmente, considerando todo o embasamento teórico e a corroboração constante, aceitam a Teoria da Evolução como a melhor explicação possível para justificar as múltiplas formas de vida atualmente existentes e a sua trajetória, expressa nos fósseis. Esse é um ponto importante. Quando, mais acima, falei que existe crença, é aqui. O Cientista é um profissional que crê que uma associação pertinente entre racionalização e experimentos pode explicar melhor os fenômenos naturais, sem qualquer necessidade de explicação não fundamentada na associação desses pressupostos, bem expressos na Metologia Científica. Simples. É por isso que, apesar de possível, ninguém fica chamando quem aceita a gravidade de gravitacionista. Simplesmente não há por quê.

Como o cientista é levado, através dos resultados do método científico, a aceitar a teoria, ele também tem de desacreditar dessa teoria caso os fatos apontem para o outro lado. Não pode haver paixão por uma idéia, pois se houver paixão, o cientista não poderá aceitar que o que defendeu durante toda a vida estava errado. E a história da ciência é repleta de exemplos de cientistas que, abrindo mão dos princípios de imparcialidade, neutralidade e objetividade, passaram suas vidas defendendo não mais teorias científicas, mas sim suas teorias, mesmo com o avolumar de evidências contrárias, porque as colocaram num patamar acima da própria ciência. É por isso que, sintetizando, para tudo aquilo que para o que a Ciência apontar, o Cientista deve sempre confiar desconfiando, e desconfiar confiando. No momento, confiamos na TE, mas nunca podemos deixar de desconfiar dela. É assim que o conhecimento evolui.

Abrindo parênteses para evitar que os “criacionistas” se aproveitem do que falei. Apesar de ter dito para sempre desconfiarmos dela, isso não significa necessariamente que ela esteja em desacordo com as evidências. São coisas completamente distintas. Isso não quer dizer, muito menos, que o criacionismo possa se afirmar como ciência, pois não passa de mito, como já foi demonstrado inúmeras vezes. “Criacionistas”, não façam miscelânea.

Então, se não podemos falar em “evolucionistas” e “criacionistas”, como nomear aqueles que não aceitam a Teoria da Evolução das Espécies? Não precisa rotular ninguém, pois pessoa alguma é obrigada a aceitar uma idéia, mesmo essa idéia sendo comprovada. Eles simplesmente não a aceitam por motivos que variam desde ignorância até charlatanismo. Dando nomes a eles, apenas estamos aumentando sua importância indevida, pois, nesse caso, eles questionam o vazio.

Atualmente há ainda os que acreditam que a Terra é o centro do Universo. Lá pelos idos do ano 2507, um ou outro ainda vai duvidar da Teoria da Evolução.

Labels:

1 Comments:

Anonymous David said...

Muito bom Renan, apesar de um ou outro errinho de digitação. Mas acho que você podia ter se estendido mais.

10:54 AM  

Post a Comment

<< Home