Sunday, January 14, 2007

Crânio reforça teoria da origem africana da humanidade


WASHINGTON - Estudo de um grupo internacional de cientistas, publicado na revista Science, fixou a data de um crânio humano encontrado há mais de 50 anos, na África do Sul, em 36.000 anos. Esse crânio oferece uma importante confirmação de evidências genéticas que indicam que a humanidade, em sua forma moderna, surgiu na África e migrou, por volta dessa época, para o restante do Velho Mundo.

"O crânio de Hofmeyr (cidade onde a peça foi encontrada) dá os primeiros vislumbres da morfologia dessa população da áfrica subsaariana, o que significa o mais recente ancestral comum de todos nós", afirma o pesquisador Frederick Grine, líder da equipe responsável pelo trabalho.

Embora tenha sido descoberto em meados do século passado, o crânio só teve sua importância reconhecida recentemente. A datação foi realizada por um novo método, que avaliou a radiação absorvida pelos grãos de areia alojados na cavidade que havia abrigado o cérebro.

Aos 36.000 anos, esse crânio preenche uma lacuna importante no registro fóssil humano para a região, entre 70.000 anos e 15.000 anos atrás. Durante esse período, ferramentas e obras de arte sofisticadas, de osso e pedra, aparecem na África subsaariana, e seres humanos anatomicamente modernos fazem sua aparição na Europa e na Ásia.

Tirado daqui

2 Comments:

Anonymous Allysson Allan said...

http://sciencenow.sciencemag.org/cgi/content/full/2007/111/2?etoc

10:40 PM  
Anonymous Allysson said...

http://www.sciencedaily.com/releases/2007/01/070115215252.htm

O elo perdido entre os pitecos e os homos?

Fossil encontrado na Europa.

12:55 PM  

Post a Comment

<< Home